Arquivo da tag: psicoterapia

Será possível ter uma vida equilibrada?

Desde pequeno contam pra gente uma historinha de que se você fizer tudo certo e se esforçar bastante… Plim! Sua vida está lá, equilibrada. E pronto: assim permanecerá. Você encontrou o tal do equilíbrio. E principalmente: se a sua vida não está equilibrada, alguma coisa está muito errada.

E aí nós tentamos fazer tudo certo, planejamos, executamos e em algum momento conseguimos alcançar aquilo desejávamos, esperando o tal do equilíbrio. E logo percebemos que a vida não está tão equilibrada quanto imaginávamos.

É como se o seu esforço em busca do equilíbrio fosse um cobertor curto. Se você puxa para um lado, outro fica descoberto.

com-os-pes-fora-do-cobertor-11f9c1-300x270

Por exemplo: você resolveu focar na sua saúde. Começa a se exercitar, gastar mais tempo preparando a sua comida e tantas coisinhas mais. Consegue equilibrar suas taxas, diminuir/aumentar o peso e passa a se sentir bem com isso porque chegou ao estágio que deseja. Mas ao olhar ao redor percebe que está passando menos tempo com os amigos ou com a família ou se dedicando menos ao trabalho.

Mas calma. Isso é normal.

Ao menos para a maior parte de nós, meros mortais. Focar em uma área da vida e alguma outra ficar (pelo menos um pouco) descoberta não é algo de outro mundo.

“Mas, Diego… Isso não é um problema?”

Continuando com o exemplo do cobertor. Imagine que você está em um lugar bem frio e com tal do cobertor curto. Se você deixar alguma parte do corpo para fora por algum tempo não é um problema, mas se deixar por muito tempo aquela parte do corpo pode congelar e cair (cobertor quase mágico que protege de te congelar, mas imagina aí).

Essa é a lógica que eu vejo com os esforços dedicados às diferentes áreas da vida: não focar em cobrir apenas uma parte, mas de tempos em tempos alternar o quanto cada área ficará (des)coberta. Ás vezes convém cobrir a cabeça e depois de um tempo cobrir os pés, mas nunca deixar nenhuma das partes exposta demais. Só passamos a ter problema quando alguma parte fica descoberta demais.

Em alguns momentos você terá que abrir mão de um tempo com os amigos e com a família para se dedicar mais aos estudos e ao trabalho, por exemplo. Para em seguida voltar a focar na família e amigos enquanto retira um pouco o foco dos estudos e do trabalho.

É como se fosse uma dança que só quem já dormiu com cobertor curto sabe como funciona. Você cobre os pés, passa um tempinho e acorda com frio no peito. Cobre o peito e descobre os pés. Volta a dormir. Passa um tempo e acorda com os pés gelados. Tenta mudar de posição, funciona por um tempo e logo depois fica incômoda. Volta a cobrir os pés. E assim vamos, mudando e equilibrando.equilibrio

 

E aí está um equilíbrio possível. Algo temporário. De vez em quando, em um momento ou outro, encontramos certa posição em que tudo está equilibrado. Como se naquela posição o corpo todo ficasse coberto… Até que…

Até que uma parte do corpo (ou da sua vida) começa a incomodar. E quando ela incomoda precisamos dar um pouco mais de atenção e mudar para que o incômodo diminua. E assim vamos, sucessivamente.

A vida é momento e movimento. Momentos de equilíbrio, seguidos de momentos de desequilíbrio que exigem movimentos para um novo equilíbrio (talvez um pouco mais estável que o anterior).

Então calma, não é preciso se julgar tanto se você achou que tivesse encontrado o equilíbrio e agora já não está mais como era antes. Ou então porque parece que VOCÊ nunca encontra o equilíbrio. Nem sempre é você que perde o equilíbrio, às vezes a vida que forçou mais para um lado mesmo.

Nesses momentos em que a vida força muito para um lado, ficar parado é a receita para o fracasso. Então movimente-se, teste, sinta o frio na barriga que todo e qualquer desequilíbrio gera, mas movimente-se. A vida não é um eterno equilíbrio, mas sim um eterno movimento em busca do equilíbrio. ;)

Tá esperando o quê?

Hoje eu quero falar com você que tem alguns sonhos, vontades, desejos e tudo o mais. Você que tem tudo isso e por algum motivo não começou. Talvez sua história seja parecida com as histórias abaixo:

X é porteiro de um prédio e tinha uma habilidade em fazer luminárias em pvc, mas deixou isso pra lá. A situação começou a apertar e ele resolveu fazer um pra vender para um amigo. O amigo gostou e outras pessoas começaram a pedir mais. Agora ele está com vários pedidos a caminho

Y é psicóloga e há algum tempo está sentindo-se insatisfeita e a grana também está apertando. Resolveu voltar a fazer algo que gostava e passar a atender nos horários que antes eram livres

Z trabalha em um escritório de contabilidade e sempre adorou cozinhar. A grana apertou e mesmo sem tempo ele resolveu tentar cozinhar para fora.

W foi demitido. Resolveu comprar uma barraquinha com o pouco dinheiro que restou para vender os doces que sua esposa faz e todos adoram“.

 limite-esperando

Essas são histórias típicas da realidade brasileira atual. Com a inflação alta e a taxa de desemprego aumentando essas histórias tendem a se tornar cada vez mais comuns. São pessoas comuns, com histórias comuns e que de uma hora pra outra resolveram fazer algo que gostam ou que nem gostavam tanto, mas têm habilidade para fazer e gostariam de ter feito antes.

Mas a pergunta que eu gostaria de fazer para você é a seguinte: por quais motivos essas pessoas esperaram tanto tempo para fazer isso?

Tempo? Dinheiro? Já pensou como essa espera é a maior armadilha que você pode criar? Se você está em um emprego formal, carteira assinada e tudo bonitinho, provavelmente trabalhará cerca de 40 horas. Vai ter uma graninha sobrando (ou não) e terá pouco tempo sobrando. Mas a outra alternativa para ter muito tempo pode não ser tão agradável para muitas pessoas: fique desempregado.

Isso mesmo: desempregado. Fique desempregado que rapidinho você terá muito tempo sobrando, mas pode ser que não tenha quase nenhum dinheiro para receber e muito menos para sobrar.

Note que as pessoas que eu citei ali em cima (casos reais e fictícios) não tinham iniciado nada disso antes que as coisas “apertassem”. Elas estavam esperando o momento certo, aquele momento em que o vento sopra a noroeste, a temperatura está em 24°, a umidade relativa do ar em…. Ok, você entendeu?

Essa hora nunca vai chegar. Isso mesmo: nunca. Você nunca terá todas as condições perfeitas para iniciar um projeto. E ainda que tenha isso não é garantia de sucesso. Ter as garantias de início pode não ser (e muitas vezes não é) garantia de sucesso. Simplesmente porque é uma característica incrível da vida: ela muda. Sempre. E a condição favorável de hoje pode mudar amanhã. Seu papel não é esperar a condição, mas criá-la.

E é por isso que a minha pergunta pra você é simples: tá esperando o quê? Tá esperando o quê pra começar a cuidar da sua saúde? O próximo pico de pressão alta? Tá esperando o quê pra marcar aquele pulo de asa delta que você sempre sonhou? Ter tempo ou organizar sua agenda? Tá esperando o quê para enviar o currículo para aquela empresa que você sempre sonhou trabalhar? Ser demitido? Tá esperando o quê para procurar ajuda e mudar aqueles comportamentos que fazem as pessoas a sua volta sofrerem? Perder estas pessoas? Tá esperando o quê para iniciar aquele projeto que faria você uma pessoa muito feliz pelo simples fato de ter tentado? Entrar no desespero?

Gostaria que você fizesse o seguinte exercício: imagine que você morreu hoje. Isso mesmo, hoje. Um mau súbito. Ninguém esperava. Daqui a pouco várias pessoas estarão no seu funeral, elas estarão lá para se despedir de você. Todas estarão falando sobre a sua vida, sobre a imagem que você deixou para elas. O que será que elas estarão falando sobre você? Será que é a imagem que você gostaria de ter deixado? O que você gostaria que elas falassem de você?

Você acredita que as pessoas falarão aquilo que você gostaria de ouvir? Que bom! Continue assim! Continue fazendo aquilo que está fazendo! Ou você acredita que as pessoas falarão algo totalmente diferente do que você gostaria? Calma. Não entre em desespero. Se você acredita que elas não falarão isso, pense o que você pode fazer para ir atrás daquela imagem que você gostaria? Ela não é construída da noite para o dia, o seu “eu” melhor não vai surgir de hoje para amanhã. Ele será construído!

E não adianta esperar para construir amanhã, na semana que vem, depois do feriado… Não. Comece hoje, naquele horário vago que você utiliza para olhar redes sociais, compartilhar vídeos no WhatsApp, ler notícias que não trazem nada de relevante para sua vida. Hoje.

Hoje é segunda e seu tempo e dinheiro estão aí. É com essa realidade que você vai ter que lidar. Então, meu amigo e minha amiga: tá esperando o quê?

Tendo uma boa noite de sono: como um psicólogo pode ajudar com a insônia

Quantas vezes você apertou o botão “soneca” esta manhã? Todos nós desejamos dormir, mas durante muitas noites nós dormimos menos do que as 7 ou 8 horas necessárias para nos desenvolver de forma saudável. Estima-se que entre 50 e 70 milhões de americanos sofrem de um distúrbio de sono crônico, de acordo com o Instituto de Medicina.

Na sociedade sobrecarregada dos dias de hoje, dormir pode parecer um luxo quando, na verdade é uma necessidade. Dormir é vital para a nossa saúde, segurança e bem-estar. Dormir recupera nosso cérebro, nos permitindo aprender e a consolidar memórias. O sono insuficiente tem sido associado a acidentes de carro, desempenho ruim no trabalho e problemas com humor e nos relacionamentos. A privação de sono também aumenta o risco de hipertensão arterial, doença cardíaca, diabete, obesidade, depressão e acidente vascular cerebral.

Vendo um Psicólogo para Distúrbios do Sono


Em muitos casos as pessoas experimentam a insônia porque desenvolvem um padrão comportamental que interfere com os bons hábitos de sono. Dificuldades para dormir costumam estar ligadas a problemas subjacentes, como estresse, depressão ou ansiedade.

É uma boa ideia consultar um médico ou outro profissional da saúde para saber se problemas médicos podem estar contribuindo com as suas dificuldades para dormir e tratar problemas médicos relacionados. Se consultar com um psicólogo pode ajudar a resolver alguns problemas do sono. Psicólogos podem ajudar as pessoas a mudar seus comportamentos e gerenciar seus pensamentos, sentimentos e emoções que podem interferir uma noite de sono saudável. Psicólogos licenciados têm a formação profissional e habilidades para tratar indivíduos que sofrem de depressão e ansiedade, que têm sido associadas a problemas do sono, como a insônia.

Ao trabalhar com um psicólogo você pode esperar falar sobre sua saúde física e emocional como um todo, além de falar sobre suas crenças e comportamentos relacionados a saúde. Um psicólogo te auxiliará a identificar quaisquer estressores subjacentes e comportamentos que podem estar interferindo no seu sono.

Um psicólogo pode solicitar que você mantenha um diário do sono com informação sobre suas rotinas e comportamentos. Isto pode ajudar o psicólogo a identificar padrões comportamentais que podem interferir no seu sono. Por exemplo, se você tem o hábito de se exercitar a noite ou assistir televisão na cama, seu psicólogo pode ajudá-lo a dar uma olhada em como suas rotinas podem prejudicar seu sono e ajudá-lo a encontrar alternativas. O psicólogo também pode te ensinar técnicas de relaxamento para te ajudar a acalmar seus pensamentos e relaxar antes de dormir.

Depressão e Sono


 A depressão é um dos transtornos psicológicos mais comuns. Mais de 16 por cento dos americanos vivenciam um transtorno depressivo maior durante sua vida, de acordo com o “National Institute of Mental Health”. E depressão e problemas de sono costumam andar de mãos dadas.

Muitas pessoas com depressão passam pela “hipersonia”, uma condição em que elas dormem mais do que o normal. Do outro lado do espectro dos problemas do sono, a insônia também é comum entre pessoas com depressão. De fato, pesquisas têm sugerido que pessoas com insônia possuem 10 vezes mais chance de sofrer de depressão clínica.

Algumas pessoas desenvolvem problemas de sono primeiro e depois, com o passar do tempo, vivenciam a depressão. Em outros, a depressão ocorre antes dos sinais do transtorno de sono. Em ambos os casos, a dificuldade para dormir é apenas uma das razões para procurar tratamento para a depressão.

Pessoas depressivas tipicamente sentem-se sem esperança e culpadas. Elas costumam perder interesse em atividades rotineiras e se afastam da família e amigos. Elas podem ter pensamentos suicidas. O tratamento pode tratar a depressão e os problemas de sono que a acompanham.

Entendendo a Insônia


 A insônia é um transtorno do sono comum que ocorre com 30 milhões de americanos, de acordo com o “Institute of Medicine”. Uma pessoa com insônia tem problema para começar a dormir ou manter-se dormindo. Quando as noites sem dormir persistem por mais de um mês, o problema é considerado crônico. Muitas vezes as pessoas com insônia crônica veem o problema indo e vindo, experimentando vários dias de um bom sono seguido por períodos de um sono de má qualidade.

Os estudos demonstram que pessoas com insônia que aprenderam a reconhecer e mudar pensamentos estressantes dormiram melhor do que aquelas que tomaram pílulas para dormir como forma de tratamento para insônia.

Independente da causa, é mais provável que você descanse se você adotar comportamentos de sono saudáveis. Assim como dieta e exercícios, o sono é fundamental para a saúde.

Passos para Dormir Melhor


Considere os seguintes passos que podem ser úteis na mudança de hábitos não saudáveis e na melhora do seu sono:

  • Criar um ambiente de sono relaxante. Mantenha seu quarto tão escuro, fresco e silencioso quanto seja possível e mantenha eletrônicos como computador, TV e telefones fora da cama. A exposição a objetos estimulantes e luzes das telas de computador e TV podem afetar os níveis de melatonina, um hormônio que regula o relógio interno do corpo.
  • Não discutir ou lidar com situações estressantes ou indutoras de ansiedade antes de dormir. Assim como o exercício pode aumentar os seus níveis de energia e temperatura corporal, discutir temas difíceis aumentará a tensão e pode provocar palpitações cardíacas. Proteja a qualidade do seu sono ao lidar com qualquer assunto estressante muito antes de deitar.
  • Definir um horário de sono. Mantenha uma rotina de sono regular. Vá para a cama e levante no mesmo horário todos os dias, mesmo nos fins de semana. Não vá para a cama muito cedo. Se você for para a cama antes de sentir sono, você pode deitar na cama e começar a ficar ansioso. Isto só tornará mais difícil começar a dormir.
  • Limitar os cochilos. Cochilos no meio do dia podem interferir com o sono noturno.
  • Manter uma rotina de exercício regular. Pesquisas mostram que exercícios aumentam o tempo total de sono. No entanto, não se exercite muito tarde. Se exercitar perto da hora de dormir pode aumentar os níveis de energia e a temperatura corporal, ficando mais difícil começar a dormir.
  • Evitar refeições e o consumo de álcool tarde da noite. Evite refeições pesadas antes de ir dormir e limite o uso do álcool. Ainda que um drink pareça ajudar a cair no sono, isso pode interferir com a qualidade do sono e perturbá-lo durante a noite.
  • Desacelerar o uso de nicotina e cafeína. Esses estimulantes podem tornar mais difícil adormecer e permanecer dormindo, especialmente se consumido no final do dia.
  • Programar um tempo de inatividade antes de dormir. Separar um tempo para relaxar e acalmar a mente irá ajuda-lo em um estado sonolento. Meditação, exercícios de respiração, tomar um banho e ouvir músicas relaxantes são ótimas maneiras de se acalmar á noite.
  • Não verificar o relógio. Calcular quanto sono você está perdendo pode gerar ansiedade e tornar ainda mais difícil o adormecer.
  • Escreva. Se você não consegue parar o fluxo de pensamentos, levante e escreva-os. Diga a você mesmo que você pode checar essa lista pela manhã, por isso não há necessidade de manter-se preocupado durante a noite.

Artigo Original.


Para receber textos sobre psicologia e bem-estar, basta inserir seu e-mail no formulário abaixo e clicar no link que vou enviar para o seu e-mail. Assim, você receberá as novidades direto na sua caixa de entrada: