Arquivo da tag: doença crônica

Enfrentando o Diagnóstico de uma Doença Crônica |Tradução|

Ser diagnosticado com uma doença crônica como diabetes, câncer ou artrite pode ser um duro golpe. É normal sentir uma gama de emoções assim que você recebe o diagnóstico. Entretanto, você pode aprender a lidar com estes sentimentos e viver uma vida plena.

Uma Montanha-Russa Emocional

É comum sentir angústia assim que se recebe um diagnóstico de uma doença crônica. As pesquisas indicam que as pessoas que estão passando por uma série de eventos estressantes antes do diagnóstico, e aqueles com um histórico de depressão, podem estar particularmente em risco de sofrimento psíquico quando descobrem que têm uma doença crônica1. No entanto, mesmo pessoas com relativamente menos eventos estressantes na vida podem ser abaladas pelo diagnóstico de uma doença crônica.

Ao digerir a notícia da sua doença você pode passar por uma enxurrada de emoções. Um diagnóstico de diabetes, por exemplo, costuma estar associado a sentimentos de culpa e vergonha2. O luto é outra reação comum à doença crônica. Você pode passar por vários estágios do luto como negação, barganha, raiva e tristeza.

Você pode sentir que está em uma montanha-russa de emoções – aceitando em um dia e ficando com raiva no outro. Pode te ajudar lembrar que este estes sentimentos são normais e provavelmente irão aliviar com o tempo.

 Estratégias de Enfrentamento

Alguns dias você pode se sentir tentado a fingir que nunca recebeu seu diagnóstico. Entretanto, encarar seu diagnóstico de cabeça erguida é a melhor maneira de enfrentar.

Isto ficou evidente em um estudo de mulheres com câncer de mama, que encontrou que mulheres que se sentiram resignadas com o seu destino estavam psicologicamente menos ajustada três anos depois, comparadas com mulheres que confrontaram seu diagnóstico ativamente3.

Outro estudo, também com mulheres com câncer de mama, encontrou que aquelas que procuraram suporte social e usaram estratégias de enfrentamento ativamente — como o desenvolvimento de um plano de ação — relataram mais paz interior e satisfação com a vida, dois anos mais tarde, quando comparadas com mulheres que tenderam a negar e evitar os seus diagnósticos4.

Como você pode encarar sua doença ativamente? Um bom começo é escrever todas as suas questões e leva-las ao seu médico (a) para discutir. Pergunte ao seu médico (a) que passos específicos você pode tomar para otimizar sua saúde. O conhecimento preciso pode te ajudar a se sentir mais capacitado (a).

Também tente manejar as coisas em sua vida que você pode controlar. Você pode não estar apto (a) a controlar certos aspectos da sua doença, mas você pode escolher comer refeições saudáveis, tomar os medicamentos como prescrito e gastar menos tempo com pessoas que não te dão suporte/apoio.

 Encontrando Apoio

Minimize o estresse deixando de lado as obrigações desnecessárias. Você pode ser capaz de tirar uma folga de compromissos voluntários, por exemplo, ou pedir mais ajuda para a família e amigos.  Construa uma importante rede de apoio com a qual você possa contar e converse com eles sobre como eles podem te ajudar da melhor maneira para lidar com sua doença.

Doença pode ser estressante para a família inteira. Não é incomum que alguns casais experimentem tensão em seu relacionamento. Tente ver as coisas da perspectiva do outro e mantenha as linhas de comunicação abertas. Se você tem filhos, planeje algum tempo sozinho com o seu parceiro (a). Além disso encoraje seu parceiro (a) a ter um tempo para cuidar de si mesmo, especialmente se ele ou ela for seu principal cuidador.

Encarando um diagnóstico “fatal”

Ser diagnosticado com uma doença fatal ou terminal pode disparar sentimentos de medo e luto. Mais do que nunca é importante cercar-se de pessoas positivas e que te apoiam. Tente encontrar pequenas coisas que você possa desfrutar todos os dias e estabeleça metas de curto-prazo realistas para você. Mesmo pequenas metas como uma visita a um parque ou museu ou um telefonema para um amigo próximo pode ajudá-lo (a) a tirar o máximo de cada dia.

antes_de_partir

 *FIM DA TRADUÇÃO*

Como um psicólogo pode ajudar?

Neste turbilhão de emoções, pode ser interessante procurar um psicólogo. O processo de psicoterapia pode fazer com que você aprenda a lidar com as novas situações que aparecerão, além de ser um tempo dedicado apenas para você e seu autoconhecimento, fundamental nas fases de transformações pelas quais passamos. Caso tenha interesse e/ou dúvidas, entre em contato.

E não se esqueça de se inscrever para receber estas e outras notícias relacionadas ao bem-estar psicológico diretamente em seu e-mail:

Texto original disponível aqui.

Imagens:
Montanha-russa emocional
Rede de Apoio
Antes de Partir

1 Maunsell, E., Brisson, J., and Deschênes, L. (1992). “Psychological distress after initial treatment of breast cancer. Assessment of potential risk factors.” Cancer70(1): 120-125.

2 Nash, J. (2013). “Dealing with diagnosis,” in Diabetes and wellbeing: Managing the psychological and emotional challenges of diabetes types 1 and 2. John Wiley & Sons, Ltd.

3 Hack, T.F., and Degner, L.F. (2003). “Coping responses following breast cancer diagnosis predict psychological adjustment three years later.” Psycho-Oncology, 13(4): 235-247.

4 Jim, H.S., Richardson, S.A., Golden-Kreutz, D.M., and Andersen, B.L. (2006). “Strategies used in coping with a cancer diagnosis predict meaning in life for survivors.” Health Psychology, 25 (6): 753-761.