Pense e depois prometa.

Bom dia, boa tarde e boa noite! E cá estamos nós! Ano novo, motivação renovada e continuamos a ver as pessoas fazendo promessas disso e daquilo. Vão estudar mais, fazer exercícios, ter mais tempo para os filhos, blablabla…

1 mês depois e nós sabemos que mais da metade dessas promessas ficarão pelo caminho ou serão adiadas para depois do Carnaval e depois para depois da Copa, depois da eleição…Epa!  Espera aí!

Mas todo início de ano é a MESMA COISA. Dê uma olhada no calçadão da minha cidade neste início de ano. Está lotado! E não apenas lotado, mas lotado de pessoas fazendo atividades físicas!

Foto 05-01-15 20 29 51

Aproveitando que isto acontece todo ano e que várias promessas são feitas, deixa eu te dar um aviso: pense e depois prometa.

Como assim pensar?

Este é um texto para que você pense ANTES de estabelecer as metas. Para isso, vamos pensar no passado.

Isto é algo que poucas pessoas falam, mas que é de fundamental importância. Embora existam algumas regras gerais de como atingir um objetivo ou de como cumprir o que prometeu, você pode não se encaixar nestas regras.

O grande problema é que se você não conseguir atingir os seus objetivos de acordo com a “receita de bolo” que foi passada, você pode passar a se culpar, desanimar e deixar as coisas pelo meio do caminho, mas isso é assunto para outro texto.

Enfim, PENSAR nada mais é do que se conhecer para tentar adequar as regras gerais a sua realidade. Então, vamos pensar?

Recordar é viver…

Vamos pensar! Quando foi a última vez que você conseguiu modificar algo que você tinha muita vontade de mudar? Pode ser algo que você tenha prometido, estabelecido como meta ou algo que você simplesmente conseguiu modificar sem ter que prometer nada.

Mas escolha algo bem claro que você conseguiu: parar de fumar, parar de beber, passar a fazer exercícios, mudar de emprego. Pensar apenas em alguns pontos já pode te ajudar.

Você consegue lembrar o motivo que te levou a buscar a mudança? Foi a opinião de alguém importante pra você? Ou foi porque você se informou e viu que precisava mudar? Você viu o exemplo de alguém e decidiu mudar?

Você foi levado pelo prazer ou pela dor? Resumindo: você mudou para evitar que algo ruim acontecesse (evitar ter problemas de saúde, evitar a frustração, etc.) ou porque estava buscando algo prazeroso (ter mais disposição para brincar com seus filhos, buscar maior reconhecimento profissional, etc). Nenhuma decisão costuma ser tomada levando em consideração somente o prazer ou a dor, mas alguns são mais motivados através da busca pelo prazer e outros através da evitação da dor. Descubra qual é O SEU ESTILO.

Você contou com a participação de outras pessoas? Será que você é uma pessoa que conseguiu mudar de forma mais fácil porque existiam poucas pessoas envolvidas ou precisou de mais pessoas envolvidas e te motivando?

Volte pro agora!

Talvez agora você já saiba como aumentar as chances de mudar alguma coisa que você quer. Pegue lápis/caneta e papel e escreva isso de forma clara. Por exemplo: veja se você tem algum motivo importante para modificar a situação atual. Se você é uma pessoa com sobrepeso, mas que está com todos os exames de saúde com bons indicadores, não se importa com a opinião que possam ter sobre você e isto não está gerando nenhum mal-estar ou comprometendo demais atividades que você queira fazer, pode ser difícil prometer “Este ano eu vou emagrecer 10 kgs”, correto?

Faça o mesmo com os outros 2 itens e agora você pode estar um pouco mais consciente para as dicas gerais que eu vou passar ao longo dessa semana. E se gostou, curta e compartilhe.

Até mais! 😉