Como aumentar as chances de seguir o que você planejou!

Bom dia, boa tarde e boa noite!

Daí que você foi lá e estabeleceu sua meta bem direitinho, colocou data, hora, quanto tempo e quando chegou o momento como você estava? Super-animado? Disposto a deixar de fazer nada para correr? Ou deixar de assistir um seriado pra estudar? Ou qualquer outra coisa do tipo? Mas é lógico que não!

Muitas vezes (quase sempre), mesmo quando tudo foi planejado corretamente, não conseguimos sair do lugar “na hora h”. Inventamos mil desculpas: falamos que tivemos um dia muito atarefado e que é melhor deixar isso para amanhã e blablablabla… Acredite: ninguém é melhor do que você para arrumar um motivo extremamente “lógico” para deixar as coisas para depois.

Sabendo disso, temos que aproveitar os momentos em que estamos pensando com mais clareza e nos sentindo determinados/motivados para pensar em estratégias que irão aumentar a chance de que iremos nos comportar da maneira que havíamos planejado (lembre-se que boa parte da motivação depende do ambiente e do momento em que você está).

Voltando para o exemplo do texto anterior, na segunda-feira pode dar a hora de você caminhar/correr e rapidamente você pode inventar algumas desculpas:

  1. Não tem “nada” pra comer aqui em casa. Não posso fazer exercício físico de barriga vazia.
  2. Tive um final de semana cansativo e hoje é segunda… Melhor deixar isso para amanhã.
  3. ZzzZZZzzzz

O problema é que quando você perceber que não fez o que havia proposto ficará “p da vida” e, acima de tudo, não dará início a sua mudança! Além disso, as explicações tradicionais colocariam a culpa na sua “falta de motivação”, quando é mais do que normal que você não tenha tanta motivação para criar um novo hábito.

Lembre-se: falta de motivação não é causa, é consequência! Acreditar que a falta de motivação é o problema só vai acabar fazendo com que você se sinta culpado e possa até mesmo acreditar que é melhor “deixar pra lá”.

Sabendo disso, você pode fazer uma lista com as possíveis “desculpas” mais comuns que você pode utilizar e, depois, criar algumas estratégias. Se o problema foi falta de comida, compre coisas para comer e deixe separado. Comprometa-se publicamente. Se o problema é conseguir acordar, programe 5, 6, 7 alarmes consecutivos para que você consiga se levantar.

Deixe roupa e comida separadas para diminuir o tempo que você gastaria se preparando, diminuindo a chance de desistir no meio do caminho e volte a dormir. Convide alguém para ir junto e te animar. Enfim, CRIE ESTRATÉGIAS PARA EVITAR QUE VOCÊ SE SABOTE.

Perceba que você precisa fazer tudo isso enquanto está pensando nos seus planos, avaliando os prós e contras de ir e não ir. A ideia central é que você precisa pensar de maneira processual, ou seja, o que será que vai acontecer quando chegar o momento em que você tem que se comportar? Quais serão os principais problemas que podem te fazer desistir? O que você pode modificar para aumentar a chance de se comportar do jeito que você gostaria?

Note que se você conseguir cumprir o que tinha prometido, automaticamente já vai começar a aumentar a chance de que mais um monte de coisa aconteça:

  1. Sua organização e planejamento deram certos, então… Vale a pena passar a se planejar mais!
  2. Conseguir sair da cama mesmo querendo ficar pode fazer com que você veja que dá pra fazer as coisas mesmo quando “não está com vontade”.
  3. Ter o prazer de se exercitar e experimentar todas as boas sensações de ter “cumprido a missão estabelecida” vai gerar um sentimento agradável que pode te motivar ainda mais a continuar em busca do seu objetivo .

happy

De maneira resumida:

  1. Pense como vai ser o momento em que você terá que se comportar.
  2. O que deverá ser feito antes? O que você pode deixar preparado para diminuir as chances de desistir?
  3. Comprometa-se publicamente ou com pessoas que são muito importantes para você (uma coisa é o colega de trabalho que fala “esquenta não, depois do Carnaval você começa”, outra coisa é um grande amigo falar “Cara, você precisa fazer isso porque a situação tá ficando feia pra você”). Lembre-se que somos muito “sensíveis” à opinião alheia, use isto a seu favor!
  4. Para os adeptos das redes sociais, use e abuse das postagens que demonstram que você atingiu algum resultado (o “curtir” do Facebook pode fazer milagres quando utilizado de maneira estratégica).

Mas lembre-se que ao elaborar estratégias você precisa pensar nos SEUS COMPORTAMENTOS, no que VOCÊ DEVE FAZER, diminuindo ao máximo a chance de responsabilização de outra pessoa. Lembre-se sempre: O OBJETIVO É SEU!

Perceba que fazer as coisas não depende de estar motivado, depende muito mais de criar estratégias e organizar seu ambiente. Não acredite que “do nada” a motivação surgirá e que isto será suficiente. Motivação sem conhecimento adequado sobre o comportamento humano não serve pra nada. ;)

Ah sim, se você já tentou utilizar estratégias parecidas e mesmo assim ficou pela metade, o próximo texto vai falar porque, para algumas pessoas, pode ser um problema estabelecer metas e este pode ser o seu caso.

Abraço e até mais!